Notícias

A influência e a ação da ABRH em 2016

Share Button

Com a palavra, os diretores regionais da ABRH-Brasil, que reúne 22 seccionais em todo o território nacional: 

 

depoimento-regionais-danielle-quintanilha_br

Danielle Quintanilha – Diretora Geral de Regionais – Foto: Divulgação
Foi bastante desafiador, marcado por um alto índice de desemprego e uma crise política, econômica e de valores nunca vista antes. Questões como transparência, ética e estrutura de governança corporativa emergiram no país. Grandes empresas, muitas tidas como referência em gestão, foram expostas a situações muito críticas no que tange a gestão e a conduta ética.

Tal situação provocou discussões importantes no meio empresarial, e a ABRH, apropriando-se do aspecto de gestão de pessoas, lançou uma série de ações com o propósito de contribuir para o avanço desse cenário.

Com o mote Influência e Ação da atual gestão da ABRH-Brasil, sua equipe de diretores e os presidentes das 22 seccionais mobilizaram-se fortemente para colocar a gestão de pessoas como força motriz de mudanças no país, um movimento que se deu através de palestras e debates em eventos, incentivo às práticas exemplares, entrevistas nos meios de comunicação e parcerias estratégicas.

Outra ação de destaque em 2016 foi o encontro que a ABRH-Brasil começou a realizar pelo país, com a mobilização de um time liderado pela presidente da associação, Elaine Saad, a fim de levar aos associados, parceiros e voluntários de todas as regiões discussões sobre temas de alta relevância em gestão de pessoas, além de promover maior alinhamento com o propósito da associação no país. Iniciada em outubro, em Natal (RN), essa ação se estenderá por 2017. A seguir, nossos diretores trazem mais detalhes das realizações de cada região.

 

Ana Cristina Barros – Região Nordeste 1 (CE, MA, PB, PI e RN) – Foto: Divulgação
Foi muito comum ouvirmos durante todo o ano que empresas estavam se remodelando para se adequar à nova realidade que se estabelecia. Então, várias ações no sentido de aumentar a produtividade, racionalizar os recursos e acelerar os processos que gerassem resultados positivos foram implantadas pelas empresas. E as pessoas, o que têm a ver com tudo isso? Elas têm papel fundamental e são a única alternativa para a sustentabilidade de qualquer negócio. E o que vimos foi a gestão de pessoas atuando de forma interativa e verdadeiramente estratégica.

Através das suas seccionais, a Região Nordeste 1 cumpriu a missão de promover as melhores práticas de gestão de pessoas em seus estados. Relacionando algumas ações, destacamos:

– A ABRH-MA com o VIII Congresso de Pessoas e a entrega do Prêmio Ser Humano.
– A ABRH-PI, além de estabelecer parceria com o Great Place to Work, realizou o 6º Congresso de Gestão de Pessoas.
– A ABRH-CE promoveu vários eventos mensais, como o Ciclo de Debates de RH, o Meeting RH e o Workshop de RH.
– Na ABRH-RN, tivemos um ano de intensificação do relacionamento com o associado através de eventos como o Café com RH e o Curso de Formação em Mentoria.
– Por fim, a ABRH-PB realizou a 26ª edição de seu tradicional congresso, o CONGREPARH, e um extenso calendário mensal de eventos.

Outro marco importante foi a região ter abrigado a primeira reunião de aproximação e integração da ABRH-Brasil com suas seccionais.

 

Ana Cláudia Athayde – Região Nordeste 2 (AL, BA, PE e SE) – Foto: Fredy Uehara
A ABRH-BA destacou-se pela representatividade alcançada com 30 eventos realizados, 302 associados e mais de 2.150 pessoas impactadas. O Prêmio Ser Humano reconheceu quatro cases de empresas e o congresso anual contou com cerca de 500 pessoas. A associação inovou com o Café com a Gente, que reúne mensalmente heads de RH para a troca de experiências, aprendizado e network, e com a transmissão ao vivo de eventos, dentre outras ações que resultaram em cerca de 60 aparições na mídia.

Já a ABRH-SE aumentou sua base de associados em 33%, bem como sua visibilidade e penetração no mercado. Teve 46 notícias publicadas nas diversas mídias e cerca de 20 apresentações em rádio e TV. Alguns diferenciais de sua gestão foram a realização de visita técnica, do AlmoçaRH e do primeiro Fórum de Relações Trabalhistas, além do foco em ações para universitários e empresas privadas.

Em seu segundo mandato, os gestores da ABRH-AL vêm ampliando a atuação da entidade com o programa de interiorização, levando suas ações para Arapiraca, e também realizaram o Fórum de Relações do Trabalho, o seu 13º congresso anual e o Fórum de Coaching, entre outras atividades.

Também a ABRH-PE inovou com eventos segmentados, como o Mulheres de ValoRH, e a participação em feiras, oficinas e cursos, realizando palestras com a finalidade de promover a associação e disseminar conteúdo para as diferentes mídias, tendo a parceria de patrocinadores em diversas áreas. Além de tudo isso, realizou o tradicional Prêmio Ser Humano, reconhecendo os melhores cases em gestão de pessoas.

 

Roberto Chagas – Região Norte (AM, PA e RO) – Foto: Fredy Uehara
No ano passado, as empresas desaceleraram seus investimentos e reduziram o número de empregados. Nem todas demitiram, mas a maioria congelou seu quadro. Esses fatos, aliados a tantas outras dificuldades, colocaram os gestores de RH em situação de dificuldade e de extremo desafio. As seccionais do Norte reagiram com pontualidade e adequaram seus projetos à realidade no intuito de auxiliá-los na travessia da turbulência.

A ABRH-RO promoveu o 2º Fórum de Líderes, em que profissionais de RH, empresários e gestores discutiram os desafios da gestão e o impacto no desempenho organizacional, entre outros assuntos.

Já a ABRH-AM realizou o 6º Fórum de Presidentes, em que líderes de empresas discutiram os rumos da gestão, bem como o Fórum de Relações Trabalhistas e o Fórum de Líderes de RH. Além disso, seu programa Gente em Foco chegou à 100ª edição.

Por fim, a ABRH-PA não ficou para trás, com seu XII Congresso de Gestão de Pessoas, oficinas e palestras com temas também alinhados aos desafios atuais.

Para 2017, as perspectivas não são melhores que 2016, mas as seccionais já planejaram suas atividades para continuar como parceiras dos gestores nessa transição. Apesar disso tudo, há motivos para ser otimista e acreditar que haveremos de vencer a crise com muito trabalho e dedicação.

 

depoimento-regionais-dilze-percilio_br

Dilze Percilio – Região Centro-Oeste (DF, GO e MS) – Foto: Divulgação
Um ano para ficar atento, ser crítico e politizado, mas também renovar a esperança e a resiliência. Assim foi 2016 e na ABRH-Brasil não poderia ser diferente! Passamos pela mudança de gestão em 18 das 22 seccionais. Imbuída da missão de integrar e apoiar as ABRHs do Centro-Oeste, fiquei feliz em perceber que, mesmo “trocando o pneu com o carro andando”, as seccionais batalharam e mantiveram a força da representatividade local, bem como a credibilidade de ser o melhor interlocutor quando o assunto é gestão de pessoas.

A ABRH-DF ampliou seu olhar para profissionais de RH em empresas de serviço e indústrias da iniciativa privada realizando visitas técnicas, meetings e palestras. Destacaram-se o evento da posse da nova diretoria e o ENCONTRARH, congresso anual que teve casa lotada!

Já a ABRH-GO consolidou as ações de sua nova diretoria com eventos focados nas lideranças de RH e gestores de outras áreas das organizações, o que deu cores diferenciadas às discussões. Destacaram-se o Prêmio Ser Humano e o Encontro de Líderes, e a presença na mídia de massa e redes sociais, o que denota a percepção de representatividade e credibilidade da ABRH-GO em seu estado.

A ABRH-MS preocupou-se com o fortalecimento da imagem institucional e da ABRH-Brasil no estado. Entre os eventos, destacaram-se o RH Talks e o de Liderança Feminina, que trataram de questões importantes da gestão de pessoas no Mato Grosso do Sul.

Foram realizações muito relevantes em um ano em que todos esperavam mais da economia brasileira. Para 2017, nossas expectativas só não são maiores que a força do trabalho voluntário da ABRH em todo o Brasil!

 

depoimento-regionais-marcia-costantini_br

Márcia Costantini – Região Sudeste (ES, MG, RJ e SP) – Foto: Fredy Uehara
A Olimpíada foi o grande centro de atenção em 2016. O evento gerou milhares de empregos diretos e temporários, e movimentou intensamente a cidade do Rio de Janeiro. A ABRH-RJ realizou uma parceria com o Comitê Olímpico para apoiar a captação e seleção dos 60 mil voluntários através de profissionais de RH, que também trabalharam em regime de voluntariado. A associação fluminense se dedicou intensamente na criação de uma Plataforma de Distribuição de Serviços que ampliará os convênios para os associados. E, no ano em que completou 50 anos, promoveu um grande e elogiado 42º RH Rio, seu congresso anual, além de cursos e eventos.

Já a ABRH-ES teve como destaque o 27º CEARH, congresso de muito sucesso, inovando mais uma vez no seu formato; o Fórum de Dirigentes, com a participação de presidentes de grandes empresas; e o Diálogo com a Juventude – Papo Reto, evento inédito, idealizado para aproximar os jovens da entidade. A associação capixaba encerrou 2016 com mais de 1.000 participantes em eventos e cursos.

Por sua vez, a ABRH-MG considerou 2016 um ano de expansão. O Fórum de Gestão de Pessoas foi o grande destaque, com 1.000 participantes; através de parceria, premiou as Melhores Empresas para se Trabalhar do estado; e realizou o evento Desafios da Mulher, com expressiva repercussão. A entidade está bastante confiante para 2017 e já planeja ampliar seus grupos de estudo e cursos.

Para a ABRH-SP, 2016 foi de inovação com o aplicativo de guias de serviços FindeHR e o 1º Conalife – Congresso Nacional de Liderança Feminina, que ganhou dimensão e figura entre os grandes eventos de 2017. Além disso, foram realizados eventos com foco na recolocação de jovens e profissionais de RH e o CONARH – Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, promovido pela ABRH-Brasil em parceria com a seccional paulista, continua liderando em público e conteúdo, tendo recebido, neste ano, com 2,5 mil congressistas e apresentado novo formato de palestras.

 

depoimento-regionais-jefferson-leonardo_br

Jefferson Leonardo – Região Sul (PR, RS e SC) – Foto: Divulgação
Findamos um ano repleto de incertezas na economia, na política e, também, na governança corporativa, que exigiu do RH e dos gestores de pessoas o exercício da resiliência, da ruptura e a aplicação das melhores táticas para manter equilibrado o tripé Funcionários, Organização e Resultado.

Nas seccionais do Sul, a dedicação e o esforço adicional resultaram na manutenção do quadro de associados, continuidade dos programas de capacitação com bom número de participantes, ampliação de representatividade e, principalmente, qualidade na organização, divulgação, conteúdos e palestrantes em seus congressos.

Para 2017, os desafios são administrar a integração e o resultado das várias gerações e suas especificidades, a velocidade da tecnologia disponível a favor do resultado, a aceleração da taxa de transmutações das coisas, a necessária reconfiguração da estrutura organizacional, os novos formatos de ensino x aprendizagem e as alternativas na relação entre empregado e empregador.

A ABRH está atenta e preparada para atuar na superação dos desafios, fortalecida pelo engajamento dos seus voluntários e pela solidificação do seu propósito maior: mover as pessoas.