Notícias

Iniciativa potencializa a formação de profissionais em situação de refúgio no Brasil

Share Button

Para contribuir com a capacitação profissional e reintegração de refugiados no mercado formal de trabalho em suas áreas originais de atuação, o Projeto Caleidoscópio, iniciativa do Instituto Yiesia, selecionou 15 refugiados para o curso Gestão Integrativa de Negócios: Uma visão multifocada e inclusiva para a gestão de pessoas e empresas no cenário contemporâneo.

Com metodologia inclusiva, baseada na Teoria U de Otto Scharmer, o projeto tem sede em São Paulo, é coordenado por Ana Paula Candeloro, e conta com o apoio de parceiros importantes: a ACNUR (Agência da ONU para Refugiados) e o PAAR (Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados).

Além da atenção aos refugiados, o curso envolve as empresas. “Visamos apresentar uma solução para que as empresas reinventem o seu negócio frente às novas demandas impostas pelo mercado. Nesse cenário, os refugiados poderão trazer um olhar desafiador e inovador para as aulas. O resultado dessa interculturalidade converte-se em benefícios para todos os presentes, além da nossa efetiva contribuição para a Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável”, diz Ana Paula.

Para os refugiados, o pré-requisito mínimo é que tenham ao menos pós-graduação em seus currículos e experiência corporativa nos países de origem. A jornada Gestão Integrativa, um dos pilares do projeto, será apresentada em seis módulos, com duração total de 88 horas, ministrados por professores universitários e executivos do mundo corporativo. A cada intervalo entre os módulos, os alunos vão a campo estudar um caso de empresa real com base no que foi apresentado e discutido naquele módulo. Ao final do programa os alunos apresentarão um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), sob a forma de Diagnóstico de Inovação (case study) que abordará oportunidades de melhorias naquele negócio avaliado, tudo com base na experiência de aprendizagem de cada aluno, e que será oferecido gratuitamente à empresa objeto do estudo para que implemente na sua estratégia.

O Brasil conta hoje com aproximadamente 8.863 refugiados de 79 nacionalidades, sendo que 20% deles têm ensino superior, de acordo com o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare).