Artigos

Lifelong Learning – O poder do “não sei”!

Share Button

Por Celso Braga*

Uma característica fundamental daqueles que vivem num processo de vir a ser, aprendendo ao longo da vida, é perceber as necessidades, aquilo que ainda não sabe. Vivemos num tempo que não saber alguma coisa pode parecer sinal de fraqueza. Um líder tem que saber tudo? Um pai ou uma mãe tem que saber tudo? Um professor tem que saber tudo? A resposta mais provável na visão da maioria das pessoas é sim!

Quando despertamos para o que não sabemos, para necessidade de entender o que não conhecemos, abraçamos a oportunidade de pensar por novos ângulos e encontramos uma forma mais profunda de agir e de ser. Quando aprendemos o novo podemos compartilhar e alcançar novas respostas para as transformações que moldam o futuro.

É preciso se deixar tingir pelas cores do que não sabemos.

De forma alguma quero dizer que devemos abandonar o que sabemos; quero dizer que temos que integrar dois mundos, aquele em que sabemos com aquele em que não sabemos. É preciso se deixar tingir pelas cores do que não sabemos, sair das respostas simples ou superficiais para construirmos maior profundidade a respeito do mundo que nos cerca.

Conversar de modo a ouvir mais que falar, de se surpreender com as visões de outras pessoas, conhecimento e experiências produzidas por estarmos juntos no despertar da nossa importância na construção do que está por vir. Somos uma série de encontros com o que não sabemos.

Celso Braga2_br

*Celso Braga é sócio-diretor do Grupo Bridge e professor supervisor pela Febrap

Posted in: