Artigos

Quando o RH solicita saúde

Share Button

Por Gilberto Ururahy*

Cobrar um pênalti é papel do presidente de um clube de futebol, afirmam, com propriedade, os filósofos deste esporte, dada a importância da ação, às vezes, decisiva para o certame. Assim, também, em uma empresa, a saúde do integrante deveria compor o programa de ação do presidente da organização em face da importância que o tema envolve.

Entretanto, a área de RH é a protagonista da transformação nas organizações, capacita as pessoas na busca por melhores resultados, tem força e influencia sempre por estar próxima aos integrantes.

O homem é o maior ativo de uma empresa. Somente ele é capaz de criar, desenvolver e perpetuar o negócio. A saúde é o seu combustível, o que lhe permite evoluir em todas as suas dimensões. Preservá-la, praticar a prevenção é um ato de autoestima, de responsabilidade consigo, com sua família, com a empresa e com a sociedade.

Quando iniciamos os nossos trabalhos em medicina preventiva, em 1990, o check-up médico era entendido nas empresas como um “benefício” para seus profissionais estratégicos.

Hoje, está claro que o programa de exames periódicos para executivos é uma importante ação de segurança empresarial. É tranquilizador para uma organização contar com seus RHs que decidem, em plena saúde. A área de RH sabe o quanto é oneroso substituir um profissional estratégico que se afastou de suas funções, subitamente, por razões de saúde. É oneroso sobre vários prismas: da segurança empresarial, da quebra da engrenagem com consequente perda de resultados, além da falta de segurança, baixa do bem-estar entre os pares e aumento de absenteísmo-doença.

O check-up médico é um conjunto de avaliações clínicas, de exames complementares de imagem e laboratoriais que permite ao indivíduo conhecer os fatores de risco para a sua saúde, diagnosticar possíveis doenças precocemente e, em conjunto com seu médico, desenvolver programas de promoção à saúde a partir de mudanças no seu estilo de vida.

Em uma organização, a área de RH é aquela que solicita o serviço de check-up médico para sua população de executivos. No entanto, é a área de Compra ou Suprimentos que busca no mercado as clínicas que prestam o serviço. A responsabilidade para quem compra serviços de saúde é muito grande. Após 29 anos liderando o mercado de check-up médico no Brasil e tendo realizado mais de 130 mil exames preventivos em homens e mulheres das maiores empresas estabelecidas no nosso país, sugiro algumas ações importantes para que a contratação tenha o resultado adequado e satisfatório para os usuários desses serviços e para empresa contratante no que tange qualidade, inovação, segurança e encantamento da prestação de serviços.

Assim, eis algumas considerações importantes para as áreas de RH e Suprimentos.

Visite sempre as clínicas prestadoras de serviços e indague:

* Sobre o currículo da equipe médica que examinará seus executivo. Tenha a convicção de que todas as avaliações e exames serão realizados por médicos.

* Sobre o laboratório (visitar de preferência) que realizará as análises clínicas dos materiais coletados de seus clientes.

* A clínica prestadora de serviço possui um Código de Conduta? Pratica compliance?

* Os equipamentos utilizados para complementar os diagnósticos são calibrados e atualizados permanentemente?

* Existe uma central de esterilização, no seio da clínica para preparo dos equipamentos de uso invasivo?

* Todos os equipamentos necessários para uma avaliação da saúde da mulher existem na clínica?

* A clínica possui Certificações internacionais – ISO 9001-2008 (norma e procedimentos) e ISO 9001-2015 (qualidade)?

* Está adequada à nova Lei de Proteção de Dados? Os resultados liberados para os clientes são protegidos/criptografados?

* Ao término do programa anual de check-up, a contratante recebe um perfil de saúde da população examinada?

* A prestadora de serviço promove a “consulta de retorno” do cliente a fim de dirimir dúvidas quanto aos exames realizados e para a elaboração individual de programas de promoção à saúde, em face de fatores de risco identificados?

* As instalações da clínica estão à altura das exigências de seus usuários?

São todas orientações básicas que podem e devem ser adotadas pelas áreas de RH e Suprimentos das empresas e, também, por corretoras de saúde, empresas de medicina de grupo e seguradoras de saúde.

Tomar decisão de contratação de serviço de saúde sem conhecer os prestadores in loco, utilizando de e-mails e propostas e sem realizar uma visita técnica, é uma decisão extremamente frágil e arriscada para os usuários.

Saúde requer qualidade, inovação permanente, segurança nos procedimentos, responsabilidade de quem contrata. Consequentemente, a confiança e o encantamento dos clientes-usuários serão reconhecidos.

* Gilberto Ururahy é diretor médico da MedRio Check-up/Foto: Divulgação

Posted in: