Notícias

Absenteísmo e atrasos no trabalho ainda são desafios para empresas

Share Button
Causas do problema requerem soluções mais humanas, diz executiva de RH

time-3040144_mohamed hassan_pixabay_brAusências no posto de trabalho prejudicam a produtividade e a rentabilidade da empresa, e estão entre os maiores atritos que afetam a relação entre empregador e empregado. Mas podem também ser um forte indicativo que há falhas de gestão que precisam ser contornadas de maneira que ambos os lados sejam beneficiados.
Advertir, suspender e até demitir o colaborador já foram práticas comuns, mas não resolviam efetivamente o problema. “Sabemos que o absenteísmo nem sempre tem o funcionário como único culpado. A punição pura e simples tem sido cada vez mais evitada, dando lugar a soluções mais humanas, que levam em conta o bem-estar do trabalhador e que refletem em um ambiente corporativo mais acolhedor e produtivo”, diz Patrícia de Menezes, diretora de RH da Mutant, especializada na melhoria de customer experience.

Segundo ela, é preciso que haja compreensão por parte da empresa para situações do cotidiano do empregado que podem interferir na vida profissional. Filhos pequenos ou parentes idosos demandam atenção, e nem sempre é possível dividir a responsabilidade com terceiros. “Apesar de serem fatores que se referem à vida pessoal, a empresa precisa ter sensibilidade para entender que nem sempre é possível ter controle de tudo isso. São questões que devem ser analisadas para ter um ambiente de trabalho mais inclusivo e não punitivo”, sugere.

O absenteísmo também pode ser consequência de fatores relacionados ao clima organizacional proporcionado pela empresa. Desmotivação e instabilidade entre as equipes podem acarretar problemas de saúde e dificuldades financeiras, por exemplo. Nesses casos, os gestores precisam avaliar com atenção cada situação e analisar as medidas que devem tomar para resolver a questão.

Soluções inovadoras e humanas têm sido consideradas mais eficientes no combate ao absenteísmo. Algumas são facilmente executadas, já outras exigem mudanças profundas nos processos e na cultura da empresa. Entre elas, Patrícia cita:

Promoção do bem-estar: é importante que a organização promova o bem-estar no ambiente de trabalho e incentive uma vida mais saudável, com campanhas e ações internas. “Na Mutant, oferecemos planos de academias entre os benefícios e massagens durante todo o expediente para os colaboradores”, exemplifica.

Melhorias no clima organizacional: realizar pesquisas de clima e atender verdadeiramente aos pedidos dos funcionários ajudam a fazer com que os colaboradores percebam que são ouvidos. “É importante criar esse ambiente respeitoso, de compreensão mútua e que valoriza a comunicação.”

Política de home office: há pessoas que enfrentam diariamente problemas de mobilidade urbana, além daquelas que precisam cuidar de filhos ou de parentes idosos. Na maioria desses casos, a implantação de uma política de home office reduz o absenteísmo e aumenta a produtividade da equipe, que se sente mais motivada. Além de reduzir a falta no trabalho, ter funcionários trabalhando em casa mostra confiança do gestor em seu time.

Boas condições de trabalho: se o funcionário fica doente muitas vezes, é preciso verificar se a causa não está no próprio ambiente de trabalho. Equipamentos, instalações e estruturas adequadas podem evitar problemas físicos, assim como locais arejados e limpos.

Feedbacks constantes: a desmotivação do colaborador pode estar diretamente relacionada à falta de feedbacks sobre a sua atuação na empresa. É fundamental que ele saiba a importância de sua função dentro do processo organizacional e que receba orientações para melhoria contínua e para alcançar os resultados esperados. “Aqui, utilizamos ferramentas de gestão de metas e os feedbacks são constantes. Também é possível solicitá-los a supervisores com os quais se tem bastante contato, mas que não sejam necessariamente da mesma área.”

Plano de carreira e benefícios: para Patrícia, saber que há oportunidades de crescimento profissional, benefícios atrativos e bons salários na empresa em que se trabalha funciona como um tonificante, reduzindo significativamente a desmotivação e o consequente absenteísmo. Além disso, torna a empresa mais visada pelos melhores profissionais do mercado.

Metas alcançáveis: algumas empresas pecam ao exigir metas inatingíveis de seus funcionários. Muitas vezes, isso é feito com o intuito de incentivar um clima de competição, mas pode ter o efeito contrário: como não consegue alcançar os resultados esperados, a equipe acaba vencida pelo cansaço. Portanto, é importante ser transparente ao apresentar os objetivos da empresa e não exigir mais do que os colaboradores podem oferecer diante das condições de trabalho que a organização oferece.

Treinamentos: ao promover a capacitação da equipe, a organização mostra o quanto o colaborador tem valor para a empresa, demonstrando confiança no potencial de seus funcionários. Podem ser oferecidos workshops, palestras, bolsas de estudo e cursos online. Tudo que puder aperfeiçoar o trabalho dos profissionais vai contribuir com a redução dos níveis de faltas. “Há duas edições, promovemos a Semana Multiplica Mutant, programa de desenvolvimento interno com palestras simultâneas em todas as nossas unidades, abordando temas desde storytelling até ilustração e escalada. É uma forma de disseminar conhecimento entre nossos próprios talentos”, finaliza.

Imagem: Mohamed Hussan/Pixabay