Notícias

Estudo mostra empregadores brasileiros com planos positivos para o início de 2015

Share Button

O ManpowerGroup, especializado em soluções de gestão e contratação de pessoas, divulgou nesta semana os resultados de sua pesquisa Expectativa de Emprego no Brasil referente ao primeiro trimestre de 2015.

A pesquisa ouviu 851 empregadores e indica que eles preveem um ritmo modesto de contratação para o período de janeiro a março. Enquanto 16% esperam aumentar as contratações, 10% antecipam uma queda em seus quadros e 71% acreditam que vão manter suas equipes intactas. Com os dados ajustados, permitindo a variação sazonal, o índice da intenção de contratação é de +8%, encerrando uma sequencia negativa que durou por 12 trimestres consecutivos.

“As intenções de contratação no Brasil são visivelmente mais fracas do que em anos anteriores, mas é importante ressaltar que o constante declínio se encerrou neste trimestre. No entanto nossa pesquisa revela sinais encorajadores de que os empregadores continuarão ampliando suas equipes. O índice de +8% indica que o ritmo de contratação deverá manter-se positivo e espera-se um crescimento de staff em todos os níveis de organizações ouvidas pelo estudo, afirma Riccardo Barberis, CEO do ManpowerGroup Brasil.

 

O Brasil figura entre os 20 países com as maiores intenções de contratação para o 1º trimestre de 2015:

A confiança dos empregadores permanece inalterada em relação ao trimestre anterior, mas, neste, o aumento de trabalhadores está previsto em seis dos oito setores da indústria, assim como nas cinco regiões analisadas.

“Os empregadores também continuam antecipando volume de contratações na maioria dos setores analisados e em todas as cinco regiões durante o próximo trimestre, indicando a espera de oportunidades para quem procura emprego no Brasil, principalmente em setores como serviços, finanças, imobiliário, seguros, comércio e varejo”, acrescenta Barberis.

As empresas que participaram do levantamento foram classificadas em quatro tamanhos. Micro – Menos de 10 funcionários; Pequena – De 10 a 49 funcionários; Média – 50 a 249 funcionários; Grande – Acima de 250 funcionários. A previsão aponta crescimento em todas as categorias, onde as mais otimistas são a empresas de grande e pequeno porte, com perspectivas de contratação de +13% e +8%, respectivamente. Tanto as médias quanto as microempresas revelaram uma expectativa de crescimento de +5%.