Notícias

Johnson & Johnson inova processo seletivo com técnicas de cocriação

Share Button

 Divulgação

 

A Johnson & Johnson implementa pela primeira vez no Brasil um processo seletivo com técnicas de cocriação. Ao se candidatarem para o programa de trainees 2014, os interessados têm a opção de participar de um grupo cocriativo em uma plataforma virtual com fórum e atividades de discussão na qual eles dão ideias sobre como deve ser sua própria avaliação presencial, que acontece na segunda fase do processo, em setembro.

“É um movimento pioneiro da companhia. Nossa intenção é trabalhar cada vez mais próximos dos jovens que desejam ingressar na empresa, desenharmos juntos novas ideias e propostas para entendermos o que eles querem e como estão se relacionando”, relata Mariana Ramirez (foto), diretora de Recrutamento e Seleção da Johnson & Johnson. Neste mês, Mariana participou do 39º CONARH, congresso de gestão de pessoas promovido pela ABRH-Nacional e ABRH-SP, na capital paulista. Ela se apresentou na palestra Atraindo e desenvolvendo talentos: Da estratégia para a ação.

A participação no grupo de cocriação da J&J não tem cunho avaliativo no processo seletivo do trainee e é opcional. “Ao participar da cocriação o candidato vai ganhando know-how sobre o processo e também sobre a empresa. Além disso, independentemente de ser aprovado, o nosso objetivo é que jovem saia com a sensação de que houve aprendizado e oportunidade para ampliar sua rede de relacionamentos.” diz Renata Magliocca, gerente de Inovação da Cia de Talentos, consultoria parceira da Johnson & Johnson no processo de seleção e desenvolvimento dos trainees.