Notícias

Mesmo com maior grau de escolaridade, mulheres ganham menos

Share Button
Pesquisa da Catho mostra que diferença chega a ser de 52% no mesmo cargo

Embora as mulheres estejam ganhando cada vez mais em evidência no mercado de trabalho, ainda é crítica a desigualdade de gênero nas empresas. Prova disso são dados obtidos na Pesquisa dos Profissionais da Catho, na qual o número de mulheres (30%) com nível superior e pós-graduação é maior em relação aos homens (24%), mas, mesmo assim, eles ganham até 52% a mais exercendo os mesmos cargos. Sendo a formação profissional um dos fatores para o avanço na carreira e, consequentemente, promoção de salários e demais benefícios, fica evidente o descompasso

Tabitha Laurino, gerente da Catho, salienta que a equiparação salarial ainda é um desafio para as mulheres. “Mesmo com a redução de desigualdades, a pesquisa deixa em evidência o distanciamento do profissional homem e mulher no mercado de trabalho. Apenas formação, qualificação e experiência profissional não são suficientes para igualá-los. É possível observar avanços, mas ainda há barreiras a serem quebradas”, afirma.

Outro levantamento realizado pela empresa aponta que a presença de mulheres em cargos de hierarquia elevada é inferior em relação ao homem, além da desproporção na remuneração de salários. As posições de maior diferença são observadas nos cargos de profissional especialista e graduado com 52% e profissional especialista técnico com 47%.

Nos cargos em que há maior participação das mulheres foi possível identificar que a desigualdade salarial é menor. As mulheres ocupam 66% dos cargos de assistente e/ou auxiliar e a diferença salarial é de 8%. Já em relação aos cargos de analista, 53% são ocupados por mulheres e a diferença salarial é de 14%.