Notícias

Sondagem aponta comportamento e percepção das empresas diante do eSocial

Share Button

Uma pesquisa realizada na última quarta-feira, dia 14, durante um evento sobre o eSocial, promovido pela Thomson Reuters, na capital paulista, mostrou que as empresas respondentes já percebem que o novo sistema impactará diretamente nos negócios: 86% dos entrevistadosacreditam que o eSocial irá gerar uma mudança ampla e complexa nos negócios da empresa. Além disso, 67% já estão trabalhando com uma equipe dedicada para que a implementação aconteça (60% estão em fase de mapeamento e integração dos sistemas de origem, e trabalham atualmente para criar uma agenda contínua de monitoramento do eSocial).

Em relação ao cenário de adaptação e adoção de um sistema informatizado que atenda todas as exigências da nova obrigação, 47% afirmaram já ter investimentos planejados para aquisição dos novos softwares necessários a fim de garantir a perfeita adequação de seus processos. Contudo,37% ainda não decidiram que modelo adotar.

Um item que chama a atenção é o índice de empresas que acreditam ser possível aguardar pela publicação da Portaria Interministerial para iniciar seus processos de revisão e adaptação. Do total de ouvidos, 22% dizem não ter conhecimento profundo sobre riscos e impactos das integrações, e17% afirmaram que pretendem aguardar definição do Governo para iniciar os planos de diagnóstico e ação.

“Estudos de acompanhamento de mercado que vimos realizando, especialmente nesses últimos doze meses, nos permitiram identificar que ainda é baixo o número de empresas que têm uma visão completa e assertiva dos reais impactos do eSocial, e que, portanto, poucas organizações já estão de fato preparadas para atender às novas obrigações”, atenta Victória Sanchez, especialista em Soluções de Tax & Accounting da Thomson Reuters no Brasil.

“Não se pode imaginar que tudo se resolverá nas mãos dos departamentos de Recursos Humanos”, alerta Victoria. Segundo ela, os profissionais de Jurídico, Compliance, Engenharia, Medicina e Segurança do Trabalho, Marketing, Fiscal e Tributário, Contabilidade, Finanças, Operações, Compras, TI e, principalmente, da alta cúpula de gestão e decisão (C-level) devem trabalhar conjuntamente com o RH, primeiramente para diagnosticar a atual situação de suas empresas e, em seguida, num plano de ação para garantir todas as adequações e investimentos necessários.

Um dos principais desafios para a conformidade com o eSocial, que puderam ser notados durante o evento, é a necessidade da realização de atualizações dos sistemas de informática para promover a integração dos processos (como o de pagamento salarial, RH, medicina do trabalho, Fiscal Tributária, Jurídico, entre outros) – sistemas estes que deverão ser compatíveis com as determinações do eSocial estabelecidas pelo Governo.