Notícias

Tendência de escassez de profissionais em TI é crescente, diz pesquisa

Share Button

A demanda por profissionais de tecnologia da informação e comunicação (TIC) no Brasil excederá a oferta em 32% para 2015, chegando a uma lacuna de 117.200 trabalhadores especializados em redes e conectividade. Os dados são de um estudo da consultoria independente IDC, encomendado pela Cisco.

O estudo Habilidades em Redes e Conectividade na América Latina (Networking Skills Latin America) analisou a disponibilidade de profissionais capacitados em TIC entre os anos 2011 e 2015, em oito países da região: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Venezuela. Foram feitas 767 entrevistas entre abril e outubro de 2012 com profissionais de empresas com mais de 100 funcionários.

Em 2011, a América Latina teve uma lacuna de aproximadamente 139,8 mil profissionais com conhecimentos em redes e conectividade (aqueles necessários para planejar, desenhar, administrar e apoiar as tecnologias de redes em uma organização), com uma projeção de aumento desta lacuna para 296.200 para 2015. Estas cifras representam uma carência de 27% no ano de 2011 e de 35% em 2015.

A demanda latino-americana por profissionais capacitados em redes e conectividade está motivada pelas tendências de:

–          Necessidade de uma maior eficiência na infraestrutura de TI, com a virtualização como o grande vetor,

–          rápida adoção de TIC por parte dos governos e o setor privado,

–          proliferação de dispositivos conectados,

–          requerimentos da rede para suportar aplicações interativas (vídeo) e negócios suportados por TIC virtualizados,

–          crescente demanda de conectividade baseada ou hospedada na nuvem através de múltiplas empresas

No Brasil há o impacto também da Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016 no aumento dos investimentos em TI por parte das empresas e Governo.

Para 2013 a previsão no país é de 276.306 vagas para 199.819 profissionais, uma lacuna, portanto, de 28% ou 76.487 de mão de obra.

As 363.584 vagas previstas para 2015 devem se concentrar mais na rede essencial com 232.032, mas a lacuna maior será na rede emergente, com 131.552 vagas para 64.650 profissionais qualificados (escassez de 51% ou 66.702 profissionais).

Com esses números, o Brasil é o segundo país com dificuldades para encontrar candidatos tecnicamente qualificados, ficando atrás apenas do México entre os países pesquisados.

“Uma mão de obra capacitada é uma vantagem competitiva para os países da América Latina, para a economia baseada em conhecimentos do século 21. Na medida em que a região experimenta a emergência rápida de tendências tecnológicas como nuvem, mobilidade, vídeo e Internet de todas as coisas, esta lacuna de profissionais capacitados representa um desafio real para o desenvolvimento econômico da região. Sem os conhecimentos adequados, o progresso tecnológico não se traduzirá em aumentos em produtividade”, afirma Jordi Botifoll, vice-presidente sênior de Cisco para América Latina.