Notícias

Seccionais em Ação – Os desafios e planos das ABRHs pelo Brasil

Share Button

Os presidentes das seccionais na posse da atual gestão da ABRH-Brasil representada, na foto, por Paulo Sardinha e Theunis Marinho (ambos ao fundo, à esq.), presidentes da Diretoria Executiva e do Conselho Deliberativo, respectivamente | Foto: Paulo Uras/Pinguim Pictures

A transição de 2018 para 2019 foi marcada por mudanças acentuadas no Brasil, com novos gestores assumindo a liderança do país. Não foi diferente na ABRH, que a cada três anos realiza eleições nacionais. Nas 22 seccionais, o processo eletivo ascendeu 14 novos líderes ao posto de presidente e 8 foram reeleitos para cumprir mais três anos de gestão (2019/2021).

Os desafios não são poucos para esses voluntários, que atuam movidos pelo desejo de contribuir para a evolução da área de Recursos Humanos e para o desenvolvimento dos gestores de equipe nestes tempos de alta complexidade e volatilidade. O compromisso maior é ampliar e fortalecer a atuação da associação para, assim, poder atuar de forma consistente na construção de organizações cada vez mais produtivas, competitivas e, principalmente, mais humanizadas, para que o país avance de forma sustentável. Confira.

 

ALAGOAS

A presidente da ABRH-AL Jennifer Lins  assumiu seu primeiro mandato em um estado no qual, segundo ela, a gestão de pessoas tem conquistado, a cada dia, mais fortalecimento e engajamento nas organizações.

Sobre a atuação na presidência entidade nestes três anos, Jennifer afirmou: “Estar à frente da ABRH-AL é um desafio diário, especialmente considerando tantas variáveis no nosso cenário político, econômico e social. Contudo, acreditamos que com muito trabalho, comprometimento e paixão, conseguiremos melhorar a cultura da gestão de pessoas em Alagoas, mudar a realidade e deixar um legado para que as conquistas futuras sejam cada vez maiores”.

 

AMAZONAS

Reeleita, a presidente Kátia Andrade vai atuar para que a ABRH-AM dê respostas a um cenário controverso e multifacetado, no qual as habilidades humanas farão toda a diferença na eficiência organizacional. Na sua visão, diante da disrupção de saberes e paradigmas em todos os níveis da vida, afetando a forma como aprendemos, trabalhamos e influenciamos pessoas e organizações, a área de Recursos Humanos nunca foi tão desafiada e valorizada.

“A atual gestão está antenada e empenhada em estabelecer as parcerias necessárias para que possamos, juntos, fazer essa mudança e contribuir na identificação e formação de novas competências que tornem o ambiente mais propício a investimentos e geração de oportunidades de crescimento pessoal e profissional”, salientou. E complementou: a associação vai fomentar uma comunidade inovadora e colaborativa, que conecte diferentes atores do cenário de relações do trabalho, a fim de de difundir as melhores práticas em gestão de pessoas.

 

BAHIA

Novo presidente da ABRH-BA, Wladimir Martins salientou que o seu compromisso é manter a entidade numa crescente exponencial, buscando resultados sustentáveis, voluntariado engajado e, principalmente, projetos inovadores.

“Vamos ampliar a atuação pelo interior do estado implementando os núcleos regionais do Sul, Centro-Sul, Recôncavo e Oeste. Dessa forma, aumentaremos nosso campo de atuação. Também construiremos um modelo de gestão baseada em metas e objetivos, para que possamos crescer nas bases de associados e financeira. Carrego comigo a expressão que será o fator motivador da minha gestão: ‘Do ser humano para o ser humano’. Buscaremos, ainda, uma gestão participativa entre as diretorias, com integração, apoio e ajuda mútua, pois, juntos, seremos mais fortes e alcançaremos resultados expressivos e marcantes”, elencou.

 

CEARÁ

“Depois de escalar uma montanha muito alta, descobrimos que há muitas outras montanhas por escalar.” Durante o evento de posse, Janete Bezerra, presidente da ABRH-CE, citou a frase de Nelson Mandela para definir seu espírito ao assumir, pela primeira vez, a presidência da associação.

Agradecendo a todos que abraçam a causa a seu lado nestes três anos, Janete enfatizou que representar uma classe como a dos profissionais de Recursos Humanos requer muita coragem. “Coragem para lançar desafios contando com a participação voluntária do time, contando com recursos escassos e, sobretudo, com um altíssimo nível de expectativas e exigências dos profissionais que representamos, um coletivo que tem senioridade e exige o melhor”, destacou.

 

DISTRITO FEDERAL

Fortalecer e valorizar a gestão de pessoas e os profissionais que atuam na área como agentes estratégicos e viabilizadores de resultados organizacionais, bem como os estudantes em suas pesquisas e produção do conhecimento é o desafio assumido por Marcelo Araújo de Almeida, novo presidente da ABRH-DF.

“Focaremos nossos esforços na disseminação do conhecimento do mundo do trabalho, promovendo o desenvolvimento das pessoas e das organizações, buscando influenciar na melhoria da condição social, política e econômica do Distrito Federal e do país. Fortaleceremos a imagem institucional criando iniciativas de representação e influência, ocupando um espaço de referência em gestão de pessoas e motivando e promovendo ações que estimulem a inclusão social no cenário de relações do trabalho”, assinalou Almeida, que tem vários planos a colocar em prática, como realizar uma pesquisa sobre cenário e tendências em gestão de pessoas e ressignificar o ENCONTRARH, evento anual da entidade.

 

ESPÍRITO SANTO

Na segunda gestão consecutiva à frente da ABRH-ES, Kátia Vasconcelos afirmou que ter a oportunidade de assumir a presidência novamente torna o desafio ainda maior.

“Junto com um time de profissionais competentes e apaixonados pelo que fazem, nos manteremos firmes no propósito de trabalhar para o fortalecimento da ABRH-ES no seu papel de transformadora e influenciadora na sociedade nos temas relacionados a gestão de pessoas. Por meio das nossas ações e, acompanhando as diretrizes da ABRH-Brasil, buscaremos trabalhar os pilares da educação, das relações do trabalho, da liderança, da produtividade e consequentemente, da competitividade. Acreditamos que a força do nosso trabalho voluntário, aliado à presença constante dos nossos associados, permitirá que o tema gestão de pessoas ocupe cada vez mais as agendas empresariais, viabilizando a construção e a manutenção de ambientes cada vez mais saudáveis e produtivos.”

 

GOIÁS

Dadson Borges de Moraes está novamente à frente da ABRH-GO, depois de encerrar uma gestão com realizações importantes para a associação, como o equilíbrio financeiro, a mudança para uma nova sede e a conquista de parcerias com organizações como Fieg (Federação das Indústrias do Estado de Goiás) e o Grupo E.

Os desafios prosseguem na atual gestão. Entre os vários citados pelo presidente reeleito, um dos principais é aumentar o nível de satisfação dos associados. Para tanto, já foi criada a diretoria de Relacionamento com o papel de identificar as principais necessidades desse público. “A profissionalização e expansão para o interior do estado também está no nosso foco. Assim, criamos diretoria de Expansão e Núcleos Regionais e a diretoria do Agronegócio e da Indústria”, contou, finalizando: “O segundo mandato será realizado com muito zelo e transparência para que a sucessão em 2021 seja feita com muito sucesso!”.

 

MARANHÃO

Outro presidente reeleito é Edilson Lira, que tem agora mais três anos à frente da ABRH-MA e definiu a expansão da entidade como uma das prioridades desse período.

“Entre nossos planos, estão a consolidação das ações e atividades iniciadas na gestão passada e a criação de um núcleo da ABRH-MA em Imperatriz, a segunda cidade mais importante do estado”, contou Lira, ressaltando que, com essa iniciativa, a associação estenderá sua atuação ao sul do Maranhão e, também, à região de Tocantins.

 

MATO GROSSO DO SUL

Com a motivação de transformar a realidade e o cenário dos profissionais de Recursos Humanos do estado, Luciano Coppini iniciou a segunda gestão à frente da ABRH-MS e acredita que será um  bom desafio.

“Lidamos constantemente com questões culturais e o pensamento empresarial que, muitas vezes, não coloca os desafios do Recursos Humanos como prioridade. Estou confiante de que faremos a diferença em nossa seccional por conta especialmente de todos os nossos voluntários que fazem parte da diretoria. Vamos seguir em frente para que os próximos anos sejam realmente transformadores”, concluiu o reempossado presidente.

 

MINAS GERAIS

Eliane Ramos de Vasconcellos Paes foi reeleita presidente da ABRH-MG. Neste triênio, ela dará continuidade ao projeto de gestão, mantendo um diálogo estreito com os profissionais de RH e lideranças empresariais que representam os vários setores do mercado, a fim de promover a troca contínua de conhecimentos e um canal de diálogo entre líderes e profissionais de RH para estimular um ambiente de trabalho mais saudável, produtivo e diverso.

De acordo com Eliane, para fazer diferença na evolução dos profissionais mineiros, a nova equipe está com o radar conectado às principais tendências, não só na área de gestão de pessoas, mas nos diversos setores do negócio, como Finanças, Tecnologia e Comunicação, entre outros. “Vamos oferecer aos nossos associados e à comunidade de Recursos Humanos oportunidades exclusivas de desenvolvimento e formação, sempre com foco nos objetivos negócio. São oportunidades valiosas para o RH se posicionar de forma cada vez mais estratégica e alcançar resultados extraordinários”, assinalou.

 

PARÁ

Com extensa atuação como voluntária da ABRH-PA, Cármen Mateus assumiu a presidência convidando empresas e profissionais a terem na associação uma parceira em seus negócios e no desenvolvimentos profissional e pessoal.

“Pretendemos estreitar o relacionamento com os associados, atingindo a nossa meta de aumentar em 200% o número de associados – pessoa física e pessoa jurídica. Traremos mais cursos, treinamentos e palestras para melhoria da gestão das empresas e de seus colaboradores, pois entendemos que, quando qualificamos empresários e funcionários, as empresas crescem e assim, promovemos o crescimento e desenvolvimento de nossa cidade e região”, afirmou.

 

PARAÍBA

Na ABRH-PB, Maria da Penha Silva dos Santos, também veterana no trabalho voluntário dedicado à ABRH, assumiu a presidência com foco em, nestes 36 meses, trilhar uma agenda suportada pelos eixos Conhecimento, Inovação, Conectividade, Inclusão e Sustentabilidade. O propósito, diz ela, é propiciar à comunidade de RH a participação ativa em um movimento capaz de gerar impacto no desenvolvimento e crescimento dos profissionais e das organizações do estado.

“Será fundamental para estabelecermos ações específicas na formação dos profissionais para o mercado de trabalho”, afirmou, complementando que outro destaque será atuação efetiva com pequenas e médias empresas, diretamente com os empreendedores. “Esse trabalho aponta para um dos nossos maiores desafios, que é a criação de vínculos mais estreitos e constantes com a comunidade acadêmica e com a organização, que por sua vez, dará o alicerce para o crescimento do mercado de trabalho e para os profissionais de gestão de pessoas na sociedade paraibana.”

 

PARANÁ

Sob o slogan Tudo aquilo que só o humano é capaz de fazer, Adeildo Nascimento, novo presidente da ABRH-PR, acredita que um dos seus maiores desafios à frente da entidade é o de lidar com o momento histórico que a sociedade vive em relação ao futuro do trabalho e do emprego, oscilante entre visões pessimistas e otimistas, e os efeitos da tecnologia. “O novo posicionamento da ABRH-PR tem foco na humanização do trabalho na era digital e o nosso papel social de desenvolvimento dos profissionais de RH para os novos tempos”, afirmou.

Sobre os desafios à frente da associação, Nascimento elencou: “Nossos desafios para a gestão 2019-2021 são: aumentar o posicionamento digital da ABRH-PR em tempos nos quais mídias e redes sociais empoderam indivíduos em detrimento de instituições; desenvolver um novo modelo de governança, que privilegie nosso público-alvo e que crie valor para os nossos patrocinadores e parceiros; e o alcance do estado todo, multiplicando ações que gerem colaboração, negócios e parcerias entre profissionais e área de RH no Paraná inteiro”.

 

PIAUÍ

Maria Socorro Cerqueira assumiu pela segunda vez a liderança da seccional piauiense, que, afirma, tem se fortalecido a cada ano por meio de eventos e ações que inspiram e orientam os profissionais quanto às melhores práticas em gestão de pessoas  estado.

“Apesar das adversidades econômicas impostas pelo cenário recessivo nos últimos três anos, é importante destacar que avançamos no nível institucional, foi mantido o nosso congresso estadual, no qual incluímos uma feira de negócios com o objetivo possibilitar a interação e a realização de negócios, uma vez que esse ambiente é propício ao newtwoking. Também criamos  eventos de menor porte, como Interagir e ExpeRHience, bimestrais e cujo objetivo é gerar experiências positivas através do aprendizado. Cada edição tem um tema, moderno, e escolhido com base nas demandas do contexto da gestão de Recursos Humanos”, conta. Ela afirma que, neste triênio, será dada continuidade ao fomento de ações que mostrem para as empresas a importância de investir mais nas pessoas. “Sabemos que os processos de gestão têm tido grande avanço em  inovação e tecnologia  nas organizações, mas para esses avanços  alcançarem o seu pleno potencial, é necessário dar atenção às pessoas. Devemos ter um olhar com o intuito de atrair para nossa entidade, mais pessoas e profissionais que se dediquem a serem voluntários”, enfatizou.

 

RIO GRANDE DO NORTE

Valorizar o associado é o maior desafio da gestão da ABRH-RN, de acordo com Ligia Ukstin, que assumiu pela primeira vez a presidência da entidade. Para vencê-lo, várias ações já estão em curso, como a ênfase na diferenciação de valores nas inscrições para eventos, ampliação de dois para cinco grupos de estudos, que são exclusivos para associados, e o acesso gratuito à plataforma digital da revista Melhor – Gestão de Pessoas.

“Estamos interagindo com nossos associados e assim identificando suas necessidades e aspirações. Nosso papel é gerar conhecimento, inspirar e conectar pessoas. Geramos momentos de networking quando realizamos nossos eventos. Também está entre nossos desafios dar sustentabilidade administrativo-financeira. 2019 é um ano de experimentar, para nos anos subsequentes ter novos desafios”, avaliou Ligia.

 

RIO GRANDE DO SUL

Em seu primeiro mandato na ABRH-RS, Crismeri Delfino Corrêa acredita que, de uma forma geral, em cada gestão, busca-se melhor aperfeiçoamento do seu legado. E assim será na entidade gaúcha. Para tanto, foi criado um grupo de pessoas que já participavam das gestões anteriores e pessoas novas, com novas ideias. “Queremos uma ABRH aberta, com novos sócios, e que as pessoas queiram estar ao nosso lado, aprendendo. Por esse motivo, criamos o slogan Conectar pessoas, conhecimentos e experiências.

Entre os planos, estão: ampliar o relacionamento institucional com o mercado, visando à geração de novos negócios; garantir um ótimo clima organizacional para colaboradores, tornando-se exemplo de gestão de pessoas para o mercado; ser referência na formação dos profissionais de RH e gestores de pessoas; potencializar o uso da tecnologia e de modernas práticas de gestão na entidade; e interiorizar a entidade estabelecendo parcerias institucionais que viabilizem projetos em todas as regiões do estado. “Queremos que as marcas tenham orgulho em estar ao nosso lado, nossos patrocinadores, parceiros e universidades”, finalizou.

 

RIO DE JANEIRO

Outra estreante no cargo de presidente é Lucia Madeira Moraes, que por três anos vai liderar a ABRH-RJ com o objetivo de tornar a associação cada vez mais uma fonte de referência para profissionais e empresas do Rio de Janeiro e, ao mesmo tempo, participar de ações que favoreçam a retomada do mercado de trabalho no estado, bem como estar próximos do dia a dia dos profissionais de RH.

“A partir de diretrizes estratégicas do Conselho Deliberativo, os membros da Diretoria Executiva elaboraram um plano de ação que vai orientar os grupos de trabalho e a agenda de atividades que agreguem valores e conhecimento aos profissionais e organizações. Os profissionais de RH desempenham um papel fundamental na preservação de espaços em que trabalho e qualidade de vida possam conviver, fazendo com que todos se sintam incentivados a pensar e produzir. E a ABRH-RJ precisa dar o suporte necessário para que as melhores práticas sejam disseminadas”, complementou.

 

RONDÔNIA

Rosângela Monteiro fez sua estreia como presidente da ABRH-RO com a convicção de que conta, nesses três anos, com o apoio de todos os voluntários que aceitaram dividir com ela a jornada, para, juntos, e ao lado de todos os profissionais de Recursos Humanos do estado, construir uma instituição relevante em Rondônia.

“Ser gestor de pessoas é escolher estar a serviço do outro, e, para isso, precisamos algumas vezes, renunciar a nós mesmos, às nossas vaidades, aos nossos julgamentos, as nossas verdades absolutas em primazia do bem-estar, da satisfação coletiva e da felicidade das pessoas”, observou, complementando: “Creio que nem tudo será tão fácil como queremos, mas que cada um de nós possa fazer o seu melhor à frente de nossas instituições”.

 

SANTA CATARINA

Inovação é a palavra-chave da nova gestão da ABRH-SC, que tem Adriana Machado Thomé como nova presidente. Ela vê como maior desafio nestes três anos tornar a associação ainda mais atrativa para os profissionais de gestão de pessoas e para as organizações.

“Com essa mudança exponencial que estamos vivendo no mundo atual, a associação precisa inovar, estar à frente dos assuntos e práticas de gestão de pessoas, ser influente, atrair as lideranças e os diversos segmentos do mercado, assim como, estudantes, associações, instituições de ensino. Desejamos que ao final da gestão a ABRH-SC possa ter uma relevância ainda maior na comunidade de Recursos Humanos catarinense e cumpra, assim, sua missão”, explicou.

 

SÃO PAULO

Na ABRH-SP, em seu primeiro mandato, o presidente Guilherme Cavalieri destacou a prioridade de manter a associação como a que melhor representa os profissionais de Recursos Humanos do estado de São Paulo. Nesse sentido, o empenho é o de trazer o maior número de associados.

“Pretendemos conseguir isso, principalmente, mantendo a boa reputação da ABRH-SP construída nesses anos todos com a sucessão de vários presidentes e diretores. Entre tantas ações, queremos capacitar os profissionais de RH e contribuir com o poder público para a formulação de políticas públicas que minimizem o impacto da transformação digital no emprego, além de trabalhar para o resgate da empregabilidade e para a promoção do trabalho e empreendedorismo”, detalhou.

 

SERGIPE

Há 30 anos voluntária da ABRH, Sandra Coêlho Nunes tem contribuído cotidianamente para a ampliação e o avanço do movimento associativo e voluntário, tanto no âmbito de seu estado, como nacional. Ela, que já presidiu a ABRH-SE no passado, volta à liderança com a mesma crença de que, para ser competitiva, a associação precisa de novas ferramentas e novos valores, dando espaço à criatividade institucional.

“Debateremos a implantação de planejamento de curto, médio e longo prazo na nossa seccional, procurando tornar claros os nossos rumos, incorporando a preocupação em HUMANIZAR as nossas atividades. Pretendemos, ainda, ampliar nossa convivência com as demais organizações do mundo do trabalho e carreiras, assim como com as universidades, proporcionando a saudável troca de experiências tão necessária ao nosso amadurecimento profissional”, antecipou, ressaltando que, para todo o Sistema ABRH, os esforços devem se concentrar nos seres humanos, na sociedade e no meio ambiente. “Precisamos de novas formas de trabalhar em conjunto e de líderes que promovam a construção de soluções para os problemas que emergem com maior rapidez, uma vez que as empresas estão se movendo para um futuro tecnológico em que as oportunidades e os benefícios superam os riscos e as incógnitas.”