Notícias

Três primeiros meses do ano animam brasileiros para mercado de trabalho

Share Button
Confiança para mudar de emprego mantém retomada
Geralt/Pixabay

Os brasileiros estão otimistas em relação ao mercado de trabalho do país. O comportamento é apontado pela pesquisa Randstad WorkMonitor do primeiro trimestre do ano, desenvolvida pela Randstad, empresa global de soluções de RH. De acordo com o relatório, o Índice de Mobilidade do Brasil, medida que analisa a confiança do profissional e probabilidade de mudança de emprego nos próximos seis meses, manteve a tendência de alta do último trimestre e apontou crescimento de 4 pontos entre janeiro e março deste ano, atingindo a marca 129.

Os dados reforçam a retomada de ânimo dos profissionais após queda marcante de 9 pontos no terceiro trimestre de 2018, reflexo do cenário político indefinido. Nos últimos seis meses, o índice subiu 12 posições.

“Com a sustentação da retomada de confiança, a expectativa é que o crescimento se mantenha esse ano inteiro, principalmente se o cenário econômico e político projetado pelo mercado se confirmarem”, explica Toni Camargo, diretor de operações da Randstad.

De acordo com ele, a reforma da previdência pode ser fator fundamental para o desempenho do Índice de Mobilidade. “Só veremos uma queda nessa confiança se a reforma não for aprovada ou se houver um claro desentendimento do governo com o congresso”, complementa.

MUDANÇA DE EMPREGO EM 2019
A pesquisa também aponta que 71% dos brasileiros não mudaram nem de cargo, nem de empresa nos últimos seis meses do ano, mostrando maior movimento em relação ao trimestre imediatamente anterior, quando a porcentagem desse dado marcou 75%. Entre os que optaram pela mudança, 18% trocaram de empresa e mantiveram o cargo, 7% foram promovidos dentro da empresa; e 4% mudaram de empresa e de cargo.

Quando o assunto é a procura por novas colocações, 34% dos profissionais são talentos passivos, ou seja,  não estão procurando vagas ativamente, mas avaliariam boas propostas recebidas, enquanto 28% estão procurando ativamente e outros 38% não estão interessados na busca no momento.