ABRH Brasil

Revista Melhor

Imaginar o mundo pós-covid-19 é criar um campo de muitas perguntas e poucas respostas, como retrata a matéria de capa da edição de maio de MELHOR, exclusivamente em versão digital. E fazer esse exercício sob o olhar de gestão de pessoa e de recursos humanos faz todo o sentido no momento: afinal, esta crise possui um forte componente humanitário. Ela trata de pessoas: pessoas que, infelizmente partiram; que estão nos hospitais, internadas e também aquelas que, heroicamente, cuidam daquelas pessoas; pessoas que cuidam de pessoas em casa; que contribuem para suas organizações não sucumbirem nesse novo temporal de mercado; pessoas que, nas empresas, também cuidam de pessoas… Sim, falamos de RH! E de outros líderes também, responsáveis, sempre, pelos bons exemplos que esperamos que ofereçam.

Praticamente, de uma hora para outra, muitas empresas tiveram de criar seus comitês de crise para traçar uma lista de ações emergenciais. Obrigadas a serem ágeis, literalmente, deram um forte impulso no home office. Reforçaram os cuidados com a saúde física e mental de seus colaboradores. Passaram a buscar alternativas para manter os empregos… Ao mesmo tempo, já sondam os ares do futuro em relação aos negócios, se preparando para o momento de retomada. Pois toda crise passa.