O cenário imposto pela pandemia está transformando o universo corporativo através de muitas mudanças, como, por exemplo, o home-office, entrevistas online, e novas formas de realizar o treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Um dos grandes desafios enfrentados pelas neste momento empresas é manter uma cultura corporativa forte e os vínculos com os colaboradores que estão trabalhando de forma remota. Por isso, todo o processo de integração com a empresa e a sustentação do relacionamento entre o indivíduo, o time e a empresa vêm sendo redesenhado para suprir as demandas da nova realidade.

Neste artigo, vamos apresentar as mudanças e as tendências na área de treinamento e desenvolvimento. Confira as alternativas para entender qual pode se adaptar melhor a você e à sua empresa. Não perca a leitura!

Treinamento e Desenvolvimento

A área de Treinamento e Desenvolvimento integra o RH da empresa e tem importância estratégica para a organização como um todo. Afinal, é por meio dessa área que existe o alinhamento e a evolução das equipes, com o intuito de oferecer sempre melhores resultados e com isso maior lucratividade ao negócio.

Apesar das palavras “treinamento” e “desenvolvimento” estarem sempre juntas, cada uma tem um objetivo dentro das organizações, de acordo com a meta a ser alcançada. Vamos conhecer algumas diferenças a seguir:

Treinamento

É um programa de formação mais específico, muitas vezes teórico, com uma capacitação mais pontual de curto prazo, que, por exemplo, podem ser cursos gratuitos, pagos ou treinamentos internos da companhia.

A intenção do Treinamento é obter resultados rápidos e eficazes, com foco na função exercida ou em algum objetivo específico. Por exemplo: o profissional é contratado para realizar tarefas que demandarão a organização e elaboração de muitas planilhas, então, ele receberá um treinamento específico de planilhas.

Desenvolvimento

Já o Desenvolvimento do profissional é um processo de formação, onde o indivíduo é capacitado para exercer funções de maior responsabilidade, ampliando o seu escopo.

O Desenvolvimento tem uma visão mais voltada para o longo prazo e leva em consideração uma construção do profissional, como um planejamento de carreira, que possui foco tanto em habilidades técnicas como comportamentais, os hard skills e soft skills.

Um bom exemplo para desenvolvimento de talentos é o programa de estágio, que começa a desenvolver o profissional no âmbito profissional, ou o programa de trainee, no qual alunos e recém-formados têm a oportunidade de atuar em todos os setores da empresa e são desenvolvidos para exercer cargos de liderança.

Muitas vezes, esses profissionais contam com uma mentoria interna, cuidando e assessorando o profissional ao longo do seu processo de formação.

As tendências para a área de T&D

Com as mudanças trazidas pela pandemia, muitas empresas precisaram se reinventar e estabelecer novos conceitos internos para que não fossem prejudicadas ou para que não prejudicassem suas equipes em um cenário de distanciamento físico.

Promover estratégias eficientes para que o distanciamento social não afaste as equipes é muito importante para manter o envolvimento dos colaboradores com a empresa e o RH deve ter papel central na promoção de ações de engajamento, de motivação e de desenvolvimento contínuo.

Com a diferença entre a Geração XYZ, os perennials e a evolução da sociedade 5.0, o profissional moderno tem se tornado cada vez mais o protagonista de sua própria carreira, buscando o seu desenvolvimento além das ferramentas típicas da empresa.

Pensando nisso, metodologias que estavam iniciando no mercado e outras que foram lançadas se fortaleceram devido à crescente busca de profissionais pelo aprendizado contínuo e ascensão da educação à distância como um facilitador dessa demanda. Abaixo, vamos conhecer algumas tendências no universo de T&D!

Onboarding

É a primeira etapa de treinamento do profissional dentro de uma empresa. A integração do novo colaborador em uma instituição é fundamental para que ele possa obter os conhecimentos, as habilidades e os comportamentos necessários e, efetivamente, se tornar parte da equipe.

O onboarding envolve várias etapas e o momento adequado para iniciar esse processo é logo após o processo de admissão. Mesmo à distância, muitas empresas investem nessa etapa, surpreendendo também os novos talentos com kits de boas-vindas personalizados e inclusivos.

E-learning

É uma técnica de educação a distância que reforça e inclui o uso de diversos recursos audiovisuais e interativos para aprimorar a gestão do conhecimento. Para que essa metodologia seja colocada em prática é preciso contar com plataformas de aprendizagem, como o LMS (Learning Management System). 

Através desses sistemas, as empresas podem divulgar seu treinamento corporativo, ganhar alcance e capilaridade com baixo custo e fazer a gestão do aprendizado de seus colaboradores.

Blended learning

Com esse método é possível que existam encontros programados dentro do treinamento corporativo para realização de dinâmicas, discussões em grupos, realização de apresentações, avaliações, entre outros. 

O grande foco da ferramenta é que exista um mínimo de interação presencial para que as trocas sejam ainda mais fomentadas entre os participantes.

Gamificação

A gamificação é a utilização de jogos e elementos lúdicos e recreativos para aprimorar o aprendizado e aproximar a teoria da prática. Se essa metodologia já tem vindo forte nos últimos tempos, a expectativa é que ela seja cada vez mais difundida.

Com a gamificação, é possível propor desafios, competições, rankings, pontuações e diversos elementos que motivam individualmente e em grupos.

Sendo assim, inserir jogos como forma de aprendizagem faz também muito sentido e cria altos níveis de engajamento e resultados.

Celular
Não basta criar apenas conteúdos que sirvam para computador. É essencial refletir e atuar para que seu colaborador consiga acessar as plataformas em diversos momentos e locais e, por isso, é preciso que os conteúdos e estratégias sejam amigáveis para acesso móvel (mobile), que é mais utilizado do que via computadores.

Microlearning

Essa metodologia é uma forma de atualizar colaboradores, também podendo ser uma espécie de suporte para as atividades do dia a dia. Essa forma de ensino se dá através de conteúdos de curta duração, como “pílulas do conhecimento”, que ensinam o conteúdo apropriado de forma sucinta e direta.

Realidade Virtual

A realidade virtual é uma tendência que cada vez mais utilizada dentro da educação corporativa. Com essa tecnologia, é possível simular diversas situações e levar o colaborador ainda mais para dentro de seu ensino, vivenciando aquela experiência.

Técnicas como essa aumentam engajamento e motivação, além de serem muito importantes para a união de teorias e práticas no negócio, promovendo uma visão muito mais realista de forma econômica e segura.

Learning by doing

Podemos afirmar que é o processo pelo qual construímos nossos valores, conhecimentos e habilidades a partir de experiências vividas. Isto é, tão importante quanto a teoria é a prática, tentar até dar certo e aprender com os erros. Como a própria tradução diz: aprender fazendo.

Com a solidão do home office, a modalidade de learning by doing deve ser explorada e incentivada. Afinal, quando não tem ninguém olhando, geralmente as pessoas arriscam novas ações com menos medo.

Muitas vezes, é aí que surgem os talentos intraempreendedores, que devem ser muito valorizados pela organização.

Personalização do aprendizado

É evidente que diversas metodologias têm o objetivo de que o colaborador seja o grande centro do seu desenvolvimento e essa tendência segue mais forte do que nunca.

Além disso, cada vez mais se olhará para personalização, não bastando oferecer treinamentos que estejam de fato inseridos no contexto do trabalhador, em sua rotina e que se adequem ao seu perfil, mas é preciso que as estratégias sejam pensadas e o mais personalizadas possíveis para que sejam alcançados resultados significativos.

Conclusão

Acompanhar as tendências para treinamento e desenvolvimento corporativo é um grande passo para se diferenciar da concorrência, sair na frente no mercado e oferecer excelentes experiências para seu público interno e externo.

Ao entender melhor sobre o que se espera do futuro dos treinamentos, é possível olhar para o seu cenário, refletir sobre objetivos e necessidades e entender o que deve ser inserido em seu negócio. Caso precise de ajuda, não deixe de contar com consultorias especializadas que conseguem desenvolver projetos on demand para o treinamento e desenvolvimento do time de acordo com a necessidade de cada organização.

Para conhecer melhor como se preparar e se projetar para um crescimento profissional, acesse o artigo da Sim Carreira sobre a Sociedade 5.0, o RH 4.0 e seus impactos nas empresas e carreiras do futuro, participe dos webinars da ABRH, e faça a diferença em sua trajetória!